Projects include expansion of the vehicle yard, the participation of the railway modal and improvements in road accesses

Com mais de 38 milhões de toneladas de cargas movimentadas de janeiro a agosto deste ano, o Porto de Paranaguá acumula alta de 8,4% em relação ao mesmo período de 2019. Entre exportações e importações, a atividade portuária teve crescimento médio de 8% ao mês em 2020, dado que reforça seu papel essencial na economia do Paraná. E que vem ao encontro de investimentos realizados no último ano, como as obras de dragagem continuada que começaram em 2019 e vão até 2023. “É uma campanha longa, com obras permanentes para manter a segurança da navegação em nossos portos, com respeito e cuidado com o meio ambiente”, destaca o diretor-presidente da Portos do Paraná, Luiz Fernando Garcia. O investimento total será de R$ 403 milhões.

Today, the Port of Paranaguá is considered one of the best public ports in Brazil, strengthened byexport of agro-industry productsof State. “The industries export products such as cellulose, soy bran and oil, sugar, vehicles and containerized products, especially chicken meat and wood. In imports, fertilizers used in agriculture stand out, as well as raw materials for plastic and chemical industries, fuels and vehicle parts”, says João Arthur Mohr, Strategic Affairs manager of the Fiep System.

Investments in land logistics

In recent years, the Port of Paranaguá has taken a leap in performance. In addition to the dredging works, several projects complement the logistical infrastructure. “Currently, 80% of the cargo handled by the port uses trucks. Oneprepared road systemto receive these vehicles, it includes efficient roads, viaducts, avenues in Paranaguá, signage, access points and plenty of space for parking, loading and unloading,” explains Mohr.

Em julho deste ano, a Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) autorizou a Portos do Paraná a fazer um leilão de arrendamento de uma nova área de veículos no Porto de Paranaguá. Chamada de PAR12, fica no lado leste do cais, na retaguarda do Terminal de Contêineres de Paranaguá (TCP). O espaço será destinado para movimentar veículos, com 74 mil metros quadrados.

Os investimentos nas operações portuárias envolvem outras obras terrestres, como a restauração e ampliação de capacidade da Avenida Ayrton Senna da Silva, um dos acessos ao porto, e a ampliação do modal ferroviário do Paraná. “O objetivo é que pelo menos 50% da carga movimentada pelo porto seja embarcada por ferrovia, para aumentar a eficiência do transporte. O frete por trilhos é mais sustentável do ponto de vista ambiental e mais barato, já que permite transportar grandes volumes e foge de gargalos nas estradas”, cita o gerente do Sistema Fiep. “Se queremos crescer, precisamos de uma adequada recepção ferroviária. É um modal ainda subaproveitado no porto. Ao capacitar e melhorar nosso modal, o conjunto logístico do porto ganha”, afirma Luiz Fernando Garcia.

export corridor

Operado por dez empresas, o Corredor de Exportação do Porto de Paranaguá é responsável por uma movimentação anual de 18 milhões de toneladas de granéis sólidos. Soja, farelo e milho produzidos no Paraná são embarcados para atender o mercado internacional, especialmente China e Estados Unidos. O país asiático comprou US$ 406,3 milhões de soja em grãos somente no mês julho, de acordo com dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Ministério da Economia. O produto é o recordista em exportações, com 11,5 milhões de toneladas movimentadas pelo Corredor entre janeiro e agosto de 2020. Em seguida, vem o farelo de soja, com 3,2 milhões de toneladas exportadas no período, e o milho, com 546.334 toneladas.

In early August, the working group of the State Railway Plan had the first meeting to prepare a plan that willdevelop and expand Paraná's railways, with a direct impact on this export chain. Points such as the privatization of Ferroeste, the sustainable development of transport services by this modal and the construction of an exclusive unloading hopper to receive railway cargo in the Export Corridor are listed. The project benefits the entire logistics chain – ports, operators, transporters – with an increase in unloading capacity and a reduction in costs.

For the population, the immediate improvements generated by this unloading reorganization will be the elimination of road and rail interference, increased safety, fluidity in urban circulation, and the reduction of noise, especially that generated by train horns.

Terminal extensions

O Terminal de Contêineres de Paranaguá (TCP), que integra o complexo do Porto, iniciou investimentos na ordem de R$ 2,5 bilhões para ampliar suas instalações. Com a maior capacidade do Brasil, é o segundo terminal em movimentação de cargas. Até o momento, foram entregues obras de ampliação do pátio, que totaliza 490 mil m² de área, e de ampliação dos berços de atracação. “Com todos os investimentos, o TCP – Terminal de Contêineres de Paranaguá aumentou em 60% sua capacidade de movimentação, passando de 1,5 milhão de TEUs/ano para 2,5 milhões de TEUs/ano”, comenta Thomas Lima, diretor comercial da TCP. Cada TEU (Twenty-feet Equivalent Unit) equivale a um contêiner de 20 pés de comprimento, aproximadamente sete metros. Adquirido pela chinesa CMPort em 2018, o TCP analisa outros projetos de ampliação.

Source: https://g1.globo.com/pr/parana/especial-publicitario/fiep/sistema-fiep/noticia/2020/09/11/competitividade-logistica-novos-investimentos-no-porto-de-paranagua. ghtml